Bean to Bar Brasil

Saindo na Frente!

03 set

Saindo na Frente!

Post publicado por Redação

Associação Bean to bar Brasil e Sebrae realizam pesquisa inédita no mundo sobre o mercado Bean to bar e Tree to bar

Uma pesquisa inédita no Brasil e no mundo sobre o mercado de chocolates Bean to bar e Tree to bar no país foi realizada pela Associação Bean to Bar Brasil, em parceria com o Sebrae Nacional. Foram entrevistados 167 fabricantes de chocolate de 17 Unidades Federativas, por meio de um formulário online, de maio a junho deste ano (2021).

Os entrevistados foram divididos em três classificações: Bean to bar (51% dos respondentes), para os fabricantes de chocolate com controle da produção a partir do cacau; Tree to bar (20% dos respondentes), para os fabricantes de chocolate com controle da produção a partir da fazenda de cacau; e Outros (29% dos respondentes), para os fabricantes de outros produtos a partir de chocolate ou com outra relação com o mercado de chocolate.

“A pesquisa é um grande instrumento para o associado definir a sua estratégia de atuação, conseguir identificar onde está inserido no mercado, quem são os seus concorrentes, como esse mercado está crescendo e quais são as oportunidades existentes. A partir dela, o associado pode direcionar os seus passos e a sua estratégia para o crescimento de sua empresa de forma sólida e consistente”, destaca Gislaine Longhi, diretora administrativa da Associação Bean to Bar Brasil.

Na primeira parte da pesquisa estão os dados das empresas, como ano de fundação, região de atuação, onde ocorre a produção, média de colaboradores, produção mensal, além do alcance no mercado, divulgação dos produtos e premiações, dentre muitas outras informações.

Chamam a atenção, por exemplo, dados que indicam que a maioria das fábricas de chocolates bean to bar e tree to bar iniciaram sua produção entre 2019 e 2020, e a média geral das produções estão concentradas na Bahia. Além disso, a pesquisa identificou que a maior parte da produção é realizada em fábrica própria com capacidade máxima de até 100kg de produto.

A segunda parte da pesquisa é dedicada ao perfil dos empresários, detalhando informações como a média de idade, grau de escolaridade, cursos realizados e as áreas em que gostariam de obter apoio do Sebrae Nacional.  “A pesquisa foi realizada com informações de primeira mão vindas diretamente dos produtores, aqueles que produzem e vivenciam os desafios e os potenciais do mercado”, destaca Luiz Rebelatto, analista de Competitividade do Sebrae Nacional.

De acordo com ele, o objetivo é conhecer melhor o segmento, o perfil das empresas, do processo produtivo, dos produtos e dos produtores, para traçar estratégias mais adequadas, com ações mais objetivas naquilo que foi identificado como gargalo. “A ideia é fazer esse levantamento anualmente pra poder verificar o comportamento das empresas e dos produtores, e realizar, assim, as adequações que forem necessárias”, destaca.

Os próximos passos

A diretora administrativa da Associação Bean to Bar Brasil, Gislaine Longhi lembra que a partir desse levantamento, a Associação Bean to Bar Brasil pode definir uma estratégia de atuação mais específica para os produtores. “Conseguimos visualizar qual é o tamanho do mercado, qual é o seu comportamento, quais são os pequenos e os grandes produtores, onde eles estão situados, quem é bean to bar, quem é tree to bar, e definir um plano de atuação em curto e médio prazo. Lembrando que o principal motivo da existência da Associação Bean to Bar Brasil é promover e fomentar o mercado bean to bar e tree to bar no Brasil e no mundo”, salienta.

Segundo o analista de Competitividade do Sebrae Nacional, Luiz Rebelatto, a pesquisa identificou que a maior parte das empresas do segmento é composta pelo público do Sebrae, em sua maioria microempreendedores individuais, microempresas e empresas de pequeno porte. Devido a isso, ele salienta que as empresas já podem se aproximar do Sebrae do seu Estado para receber o atendimento específico para as suas necessidades, seja na gestão; regularização de produção, rotulagem, design de rótulos e de marca; certificações; ou inovação de produtos e processos. “Juntamente com a Associação Bean to Bar Brasil, podemos construir um plano de trabalho conjunto para identificar os principais pontos para aperfeiçoamento”, destaca.